quarta-feira, 16 de outubro de 2019

TORMENTA – REBATIZADO NA DOR!




BANDA: TORMENTA
DISCO: “Batismo da Dor”
ANO: 2019
SELO: Independente

FAIXAS:
1.  Cumulonimbus/
2.  Batismo da Dor/
3.  Escravo da Ilusão/
4.  Reféns do Medo/
5.  Em Nome de Deus/
6.  Dono da Verdade/
7.  Antaustorm’
8.  A Noite Espessa/
9.  Perseverança/
10.      Mal Necessário/

    Com uma trajetória de 20 anos, a banda oriunda de Ribeirão Preto/SP TORMENTA tem aquele histórico que atrapalhou muitas bandas de vingarem no Brasil, a troca incessante de integrantes e vários hiatos durante os anos. Originalmente formada como uma banda de Thrash, hoje em dia podemos dizer que a banda não pratica somente este estilo e sim engloba muito mais que só isso, num som frenético, bem marcado e acelerado mas que tem muito de Heavy Metal, Stoner e até Punk Rock.
    As composições deste segundo disco “Batismo de Dor” são muito bem compostas, escritas, elaboradas e diretas, é de encher os ouvidos, olhos e pulmões, afinal, como as letras são em português inteligível, em pouco tempo você já está cantando junto os refrões e batendo cabeça com sua guitarra ou batera imaginária.
    Formada por Rogener Pavinski (v/g), Fernando Henriques (bx), Flávio Santana (g) e Luis Fregonezi (bt) a banda traz muito da sonoridade da DORSAL ATLÂNTICA no modo de cantar e também tocar, principalmente essa fase dos discos “2012”, “Imperium” e “Canudos”.
Luis Fregonezi (bt), Rogener Pavinski (v/g),
Fernando Henriques (bx), Flavio Santana (g)
    As letras não tem conversa fiada, é tudo bem pensado e bem encaixado entre os riffs, tratam de ganância, fanatismo religioso, egocentrismo, intolerância, solidão entre outras agruras do lado negro da humanidade e no encarte em frases que antecedem as letras tem citações bem pinçadas das obras de Paulo Leminski,
Menotti Del Pichia, Shakespeare, Goethe, Saramago, Ghandi entre outros, ou seja, não é só som pra bater cabeça e sim pra preenchê-la com algo mais.
    Vai por mim e corre atrás que a satisfação intelectual é garantida!
    Contatos: www.tormentametal.com/
                    contato@tormentametal.com 
                    www.metalmedia.com.br
                    www.facebook.com/tormentametal/


terça-feira, 15 de outubro de 2019

SUNROAD – “HEATSTROKES” HARD/HEAVY GORDUROSO!



BANDA: SUNROAD
DISCO: “Heatstrokes”
ANO: 2019
SELO: Musik Records (musikrecordsmk@hotmail.com)
FAIXAS:
1.  Mind the Gap/
2.  Given and Taken/
3.  Screaming Ghosts/
4.  Lick my Lips/
5.  Empty Stages/
6.  Unleash Your Heat/
7.  Heatstrokes/
8.  Spellbound Age/
9.  Overwhelmed/
10.      Dare to Dream/

  Não sei se seria correto afirmar que o SUNROAD é um projeto do baterista Fred Mika, mas que ele é o único remanescente nesses 20 anos da banda e o responsável por quase tudo, isso ele é, afinal, ele compõe, produz, faz a capa, toca bateria, enfim, se essa grande (deveria ser maior) banda de Hard/Heavy nacional ainda está na ativa após 20 anos de estrada e com um nível elevado de qualidade, muito deve-se à insistência e esmero de Fred Mika.
    Mas fazendo justiça, esse oitavo disco da banda foi co-produzido pelo ex-baixista da banda Neto Mello e as composições todas foram escritas ao lado do ex-vocalista André Adonis que também gravou os vocais, alguns baixos, guitarras e teclados antes de sair, aja visto que a atual formação conta com Warlley Oliveira (vocais), Mike Vieira (guitarra), Van Alexandre (baixo na turnê, pois nas gravações contaram com P.Jordan) e o citado Fred Mika na bateria.

    E o som? Ah, o som, pra quem não conhece ainda é um AOR cristalino, sim, vem à mente DEF LEPPARD, TRIUMPH, VAN HALEN, JOURNEY, DOKKEN, E.Z.O., DR. SIN, SCORPIONS, TYKETTO entre vários que não consigo descrever aqui, pois a lista é enorme. É aquela banda que grava canções pra você cair na estrada rumo ao por do sol, num carro conversível numa estrada só sua na beira do mar, manja? Você ouve esse disco de olhos fechados e cria todo aquele cenário de filme americano dos anos 80 na cabeça, assim como quando se ouve THE NIGHT FLIGHT ORCHESTRA, sim, encontrei uma banda da atualidade que tem um som que compactua com a do SUNROAD.
    Só acho incrível a banda ainda ser pouco conhecida nas rodas de conversa no Brasil, mesmo entre os amantes de Hardão oitentista.
    Uma boa pedida para representar o Brasil nos festivais do verão europeu sem dúvida!
    Contatos:



sexta-feira, 11 de outubro de 2019

TOCA DO SHARK CHEGA A SUA 20º EDIÇÃO SONORA





    O nosso programa de rádio TOCA DO SHARK chegou a sua vigésima edição!
    Criado de forma descomprometida em novembro de 2018 em formato de podcast, o braço sonoro do nosso site TOCA DO SHARK (no ar desde 2011), logo que foi ao ar na plataforma MIXCLOUD chamou a atenção dos ‘garimpeiros do Rock underground’. O primeiro programa foi bem mambembe, sem produção nenhuma e com menos de uma hora, apenas um piloto que passasse a ideia do que poderia vir a ser uma versão em áudio do nosso blog.
Playlist da Edição piloto #0



Acima fotos de divulgação dos primeiros programas
e sua gama sem limites de estilos musicais.

    Mas para o número 1, eu, Alexandre já contei com o apoio e participação do meu filho Ícaro produzindo e apresentando um bloco somente seu ao qual demos o nome de “Rock Hereditário”, por razões óbvias, fechando assim em 1 hora a duração o podcast, que após algumas edições chamou a atenção do dono da webradio RADIO ROCK ONLINE de Taquaritinga interior de SP, Gustavo Troiano que nos convidou a fazer parte do cast da rádio com total liberdade de criação.

    Agora já com uma plástica mais próxima do profissional, com abertura, vinhetas, etc... o programa também chamou a atenção do dono de uma das mais bem sucedidas webradios de Rock do Brasil, a paulistana STAY ROCK BRAZIL, com 11 anos no ar. Na verdade Renato Menez, proprietário e diretor da rádio já havia me convidado há uns quatro anos atrás para fazer um programa lá, mas na ocasião não me senti seguro o suficiente.

    Agora a TOCA DO SHARK vai ao ar semanalmente ao ar na RÁDIO ROCK ONLINE (www.radiorockonline.com.br) aos sábados às 18hs com reprise nas quarta-feiras no mesmo horário e quinzenalmente na STAY ROCK BRAZIL (www.stayrockbrazil.com.br) nas terça-feiras ímpares às 20hs com reprise na quarta-feira seguinte às 15hs.

    Mas não por isso o programa deixou de ser postado na plataforma MIXCLOUD (www.mixcloud.com/alexandre-quadros) sempre após a edição ir ao ar nas duas emissoras. Como em uma é semanalmente e em outra quinzenalmente, há uma discordância cronológica entre os programas que vão ao ar nas duas, mas todos são cronológicos e em seguida ficam disponíveis gratuitamente no MIXCLOUD para quem não pode acompanhar nos horários das rádios ouvir a hora que bem entender da forma que lhe for mais prático.

    E sim, tanto o MIXCLOUD, quando as rádios STAY ROCK BRAZIL e RÁDIO ROCK ONLINE tem seus App (aplicativos) disponíveis na Playstore para vocês baixarem e escutarem os melhores e mais variados programas no seu celular ou tablet.
    Lembrando que a playlist da TOCA DO SHARK não segue tendência alguma à não ser o gosto pessoal dos produtores e apresentadores, na verdade segue sim, três regrinhas de ouro:

                              1º - Não tocar nada de óbvio (ou seja, caso queira ouvir algum classicão manjado e batido do Rock, corra pro Youtube, pois aqui não vai rolar);
                              2º - Qualidade musical, não necessariamente de gravação e sim de feeling;
                              3º - Nada de música de cunho fascista, preconceituoso, misógino e/ou xenófobo que exalte a supremacia de alguma etnia perante as outras.





    Outro ponto forte em nossos programas é o espaço ilimitado para as bandas e artistas nacionais dentro da programação. Artistas entrem em contato.
    Em resumo, aqui você irá ouvir tanto Heavy, Hard, Punk, Hardcore, AOR, Progressivo, Jovem Guarda, MPB (bicho grilo), Psicodelia Nordestina, Raw Black Metal, Death, Rockabilly, Psychobilly, Pop, Industrial e mais uma infinita gama de filhotes do nosso bom e velho (mas não morto) ROCK AND ROLL.
    Sejam bem vindos para ouvir, criticar, opinar, interagir e espalhar, sim espalhar mesmo, a TOCA DO SHARK!
Programa especial 100% Rock brasileiro em português






Especial Coda Online
saiba mais: 
http://tocadoshark.blogspot.com/2011/12/em-1998-eu-comecava-trabalhar-em-radio.html

Nesta edição homenagens à memória de Serguei e André Matos
Além da cobertura do festival A.M.F. 
http://tocadoshark.blogspot.com/2019/06/armageddon-metal-fest-2-edicao-01062019.html






domingo, 22 de setembro de 2019

GRINDHOUSE HOTEL VOMITANDO FUZZ NA SUA CARA!



BANDA: GRINDHOUSE HOTEL
DISCO: “Built in Obsolescence”
ANO: 2019
              
                                                FAIXAS:
1.  Centaurus/
2.  Cleanliness/
3.  T.I.T.I./
4.  Liquid Brain/
5.  White Lies/
6.  Right Hand/
7.  You Stink Mthrfckr/
8.  Deserto f Affliction/
9.  Television Never Lies/
10.              Burn Like Fire/
11.              Red Pill/

    A banda GRINDHOUSE HOTEL (antes conhecida somente como GRINDHOUSE) foi formada na capital paulista em 2010 e desde então lançou dois EP’s e agora vem com seu primeiro full. Intitulado “Built in Obsolescence” e vendo a capa e fotos do encarte já dá pra saber do que se trata o assunto, a chamada ‘obsolescência programada’, ou seja, tudo aquilo que já nasce ou foi fabricado com data de validade programada. E não estou falando de itens perecíveis não, e sim de bens de consumo que eram considerados duráveis, como eletrodomésticos, mas eles estenderam essa tese também para os relacionamentos interpessoais, que já nascem fadados ao fracasso, uma prática corriqueira e patética dos tempos atuais. Na realidade, desde sempre, convenhamos, mas vamos ao som praticado pela banda, que é o que nos importa.
    Uma rifferama desenfreada totalmente carregada de FUZZ, vocais desesperadoramente urrados e uma bateria ‘marteladona’ faz o STONER desse quarteto formado por Leandro Carbonato (v/g), Luiz Natel (g/v), Roger Marx (bx) e Gustavo Cardoso (bt) grudar na tua mente como uma lamacenta trilha sonora gordurosa daquelas que poucos suportam, tamanha dose cavalar de peso e perturbação psico-sonora.


    KYUSS, BLACK SABBATH e FU-MANCHU são apenas três nomes que podemos listar como grandes influências, mas, como costumo dizer, é melhor ouvir pra entender, senão tudo que escrevi não vale de nada.
    Os canais são vários e aqui vão alguns para você ouvir e entrar em contato com a banda para apoiar realmente mais uma grande promessa (que possa se tornar uma realidade futura).
    CONTATOS:

sábado, 24 de agosto de 2019

NEM TOSCO TODO E AS CRIANÇAS SEM FUTURO PERGUNTAM: "VOCÊ TERIA 5 MINUTOS PARA OUVIR A PALAVRA DO SR PUNK ROCK?




BANDA: NEM TOSCO TODO E AS CRIANÇAS SEM FUTURO
DISCO: “Música Rápida para Pessoas Apressadas”
ANO: 2019
SELO: Tosco Todo (http://toscotodo.blogspot.com ).
FAIXAS:
1.  Para pessoas apressadas
2.  Ditador
3.  Eles querem o caos
4.  Quem liga?
5.  Rota de Fuga
6.  A palavra
7.  Sem arrependimento
8.  Sem medo
9.  Não aguento
10.      Correndo

    Quando vem um lançamento envolvendo Nem Tosco Todo (vocal do CAMA DE JORNAL) como esse do seu projeto NEM TOSCO TODO E AS CRIANÇAS SEM FUTURO, já espero letras inteligentes e de forte personalidade.
    Em tempos em que grandes nomes do Punk mundial fogem feito galinhas covardes de agendas extensas ou de um simples cartaz, e alguns nomes da cena nacional se escondem ou baixam a guarda, essa banda de Vitória da Conquista/BA vem pra provar que o Punk Rock ta mais do que vivo, afinal de contas fazer 10 canções em 5 minutos e poucos segundos sem ser aquela barulheira disforme e com um vocal totalmente inteligível que se faz entender até por uma criança é uma atitude mais do que bem vinda!
    Em tempos que temos que enfrentar o status quo de frente, se fazer entender nas mensagens é a mais pura forma de rebeldia.

    10 canções curtas e diretas, letras que refletem as paranoias do dia-a-dia do homem moderno e domesticado, como por exemplo acordar-trabalhar-dormir sem tempo pra nada. Aliás, segundo o próprio Nem, ele teve essa ideia após ver em algum filme o personagem falar que chegaremos num tempo em que o ser humano só terá 5 minutos livres por dia e, acreditando que estamos bem próximos desses tempos de escravidão moderna, Nem já se adiantou e compôs um disco inteiro que cabe dentro de 5 minutos, mas, conforme eu já falei acima, não é nos moldes ANAL CUNT ou S.O.D., aqui é nos moldes CÓLERA, mas resumido em segundos, ou seja, você entende cada palavra cantada por Nem, ou por Ed Goma, baterista que cantou na última faixa do disco ‘Correndo’, também de sua autoria.
    Completam a banda Christian Benardis (g/v) e Filipe Gomes (bx/v).
Nem Tosco Todo (v), Ed Goma (bt/v), Filipe Gomes (bx/v), Christian Benardis (g/v)
NEM TOSCO TODO E AS CRIANÇAS SEM FUTURO 2019


segunda-feira, 19 de agosto de 2019

GANGRENA GASOSA - Politicamente (in)correta e sem papas na língua!


   

    
    Trombei o GANGRENA GASOSA no festival “Armageddon Metal Fest” em Joinville/SC em Junho deste ano e bati altos papos informais com alguns integrantes da banda na barraca de merchandising, mas após o show avassalador que eles fizeram naquele dia (http://tocadoshark.blogspot.com/2019/06/armageddon-metal-fest-2-edicao-01062019.html ) fui entrevistá-los oficialmente na sala de imprensa, quando me deparei com o amigo Clinger Carlos do site ‘Heavy Metal Online’ ( http://heavymetalonline.com.br/ )preparando seu equipamento para entrevistá-los, então me sentei ali e liguei meu gravador para ir gravando enquanto esperava minha vez, mas quando tudo terminou vi que o Clinger tinha perguntado tudo que eu ia perguntar e até mais. Só falei que não tinha mais nada a acrescentar e pedi autorização do mesmo para usar a sua entrevista no meu blog, o que foi prontamente autorizado, então está aí, esperei ele publicar as partes que ele ia usar em suas matérias de cobertura do evento para agora liberar a entrevista na íntegra aqui pela TOCA DO SHARK.
    Agradeço a Clinger Carlos pela liberação do conteúdo e à toda banda GANGRENA GASOSA pela simpatia com que tratam todos, fãs, imprensa, equipe do festival, desde a turma da limpeza até os idealizadores.

CLINGER CARLOS: Falem sobre as impressões de vocês a respeito do festival “Armageddon Metal Fest”, desde a chegada de vocês aqui em Joinville até a estrutura de palco?
ÂNGELO AREDE: Rapaz, desde lá do começo das negociações, que foram feitas com muita antecedência, foi tudo feito de forma muito organizada, vou passar pra Gê que cuidou das negociações, fala aí Gê.
GÊ GAIZEU: Foi tudo maneirão, trataram a gente igual gente (risos gerais).


C.C.: Inclusive, numa conversa com os organizadores, eles revelaram que as prioridades deste festival eram vocês e o RATOS DE PORÃO...
A.A.: Faço muito gosto! Porra, sensacional, esta tudo ótimo, estrutura perfeita, entramos no palco no horário combinado, saímos do palco no horário combinado, translado, tudo jóia, nota 1000!
MINORU MURAKAMI: Acho que de estrutura até agora, dos festivais que andamos fazendo esse foi o melhor.

CC.: Falando da volta pro sul...
AA: Iiiisso, da volta pro sul, fizemos também o “Metal Maniacs” também do caralho...
EDER SANTANA: Sim, “Metal Maniacs”, inclusive tem uma galera que está aqui hoje, falaram que já tinham visto nosso show lá no “Metal Maniacs” que foi outro festival do caralho, só tenho a agradecer a consideração com a gente.

C.C.: Vocês acham que estas bandas que estão voltando, como o SHAMAN, THE MIST, o show de comemoração de 30 anos do “Brasil” que o RATOS DE PORÃO estão fazendo, são boas estratégias pro Metal, para que as pessoas tenham mais interesse em ir aos festivais e rever as bandas, conhecer outras bandas novas?
GÊ: Pô, o disco “Brasil” é super atual, não fica velho nunca!
E.S.: É, “Brasil” mais atual impossível!
A.A.: Eu acho legal sim, essas bandas são importantíssimas no cenário brasileiro, que tem essa história e obras importantes e que estão voltando aí, o caso do THE MIST, o RATOS não pára nunca... então é tão importante quanto ter bandas novas, mas a gente ter essa galera que tem essa relevância trazendo os clássicos pra garotada que não viu, também é ótimo!
E.S.: É maneiro também pra gente que curtiu o THE MIST há muito tempo e ver os caras ao vivo agora, é um presente pros fãs.

Com Eder Santana "Omulu" após o show

C.C.: Ângelo, numa entrevista lá no “Metal Maniacs” você falou sobre Exus e ‘Povo de Rua’, como você classificaria essa definição? Eu andei procurando algo sobre isso e não achei nada.
A.A.: Cara, ‘Povo de Rua’ são os Exus, que fazem parte da Calunga, fazem parte das encruzilhadas, é o povo que está ali segurando a nossa onda, é o povo da contenção...

C.C.: E o contexto de vocês para o próximo álbum vai continuar o mesmo?
A.A.: Vai, vai continuar o mesmo e vai ter muito mais, se segurem aí, que vocês vão ficar ‘boladão’ com os singles que nós vamos soltar em breve.

C.C.: Temos visto o cenário do Metal ultimamente rachado por causa de política, um fala uma coisa daqui e outro fala dali, como vocês encaram isso como banda? Digo isso porque vocês entram no palco e não tem manifesto político da parte de vocês lá em cima, mas pessoalmente vemos que vocês tem um posicionamento.
A.A.: Sim, é “Bolsonaro, vá tomar no cú” ele e os filhos dele. Essa corja toda aí, esses filhos da puta, FILHO DA PUTA! FILHO DA PUTA! FILHO DA PUTA!
GÊ: Racistas do caralho! Não xinga as putas cara, respeita as putas!
A.A.: Não, não, não xingo, é verdade... (risos e mais risos)
(Nota do Redator: Nesta hora a banda toda em uníssono resolveu ofender os políticos que estão no poder e a entrevista ficou divertidamente um caos. Outra coisa: quando pedi ao Ângelo para gravar uma vinheta para o meu programa ‘Toca do Shark’ ele me perguntou antes se eu tocava banda fascista no programa, caso sim ele não gravaria pois não compactua com gente preconceituosa.)
A.A.: Mas olha, todo mundo tem direito de ter seu posicionamento, de direita, de esquerda, só não tem direito de ser fascista, só não tem direito de ser babaca. Até tem direito de ser babaca, mas longe de mim! Quer ser babaca, vai ser babaca longe de mim, vai ser babaca na puta que te pariu! Bolsonaro vai tomar no cú e é isso aí mesmo! Eu não tenho nada bonito pra falar não.
ALEX PORTO: Tem mais uma coisa. Bolsonaro vai tomar no cú!
(Nota do Redator II: Quer ver como foi essa parte da entrevista? Está lá no documentário que o Heavy Metal Online acaba de lançar no Youtube chamado “Fascismo no Heavy Metal – O Mal que nos faz, Parte II” onde várias bandas dão suas opiniões de ambos os lados da política, inclusive a GANGRENA GASOSA. Clique em https://www.youtube.com/watch?v=ZkJxS49A3sA&feature=share )
Minoru (g), Alex (bt), Eder (v), Ângelo (v), Gê (p) e Diego (bx) 

O GANGRENA GASOSA É FORMADO POR:
Ângelo Arede (Zé Pelintra) – voz
Eder Santana (Omulu) – voz
Minoru Murakami (Exu Caveira) – guitarra
Gê Gaizeu (Pomba Gira Maria Mulambo) – percussão
Diego Padilha (Tranca Rua das Almas) – baixo
Alex Porto (Exu Tiriri) – bateria

https://www.facebook.com/gangrenagasosa/